FAÇA SUA BUSCA

BUSCA POR CÓDIGO

Lello Miami Portal de Notícias

10.07.2015

Condomínio de luxo nos EUA tem cerca de 60% das unidades vendidas para brasileiros

Condomínio de luxo nos EUA tem cerca de 60% das unidades vendidas para brasileiros

Combinando marina, iate clube e condomínio, Marina Palms Yacht Club & Residences, em Miami, já teve a maior parte das unidades à venda adquirida por brasileiros; apartamentos no empreendimento custam a partir de US$ 800 mil

No mês passado, o Wall Street Journal publicou uma reportagem afirmando que a reeleição de Dilma Rousseff (PT) estaria causando um "êxodo" de brasileiros ricos rumo Miami, nos Estados Unidos, por causa do "desprezo" da elite do País pela presidente. Verdade ou não, a procura por apartamentos nos EUA tem subido nos últimos meses. 

Um dos exemplos disso é o sucesso entre brasileiros de um empreendimento de luxo que está sendo erguido na cidade americana. Combinando marina para 112 barcos, iate clube e condomínio de luxo, o Marina Palms Yacht Club & Residences, em Miami, já teve cerca de 60% das unidades da primeira das suas duas torres, que será entregue no segundo semestre, vendidas para brasileiros.


Tricampeão da prova 500 Milhas de Indianapolis, o piloto Helio Castroneves é um dos brasileiros que adquiriu um apartamento em pré-construção no empreendimento, que contará com dois grandiosos edifícios, cada um com 25 andares e 234 apartamentos. A construção do segundo edifício, com apartamentos de até quarto dormitórios, começa ainda este ano e as unidades em pré-construção já estão à venda, a partir de US$ 800 mil.


O aumento da procura por imóveis nos EUA é reforçado por um levantamento da Goldmann Real State. A empresa de administração imobiliária, que atua no País e nos EUA, constatou uma alta de 48% no interesse de brasileiros por imóveis em Miami e Orlando no primeiro semestre, em relação ao mesmo período do ano passado.


Segundo o executivo da companhia, Joseph Tartuce Hejazi, apesar da alta do dólar, os brasileiros estão investindo em imóveis nos EUA porque os preços, muitas vezes, ainda são mais baratos que os de imóveis em áreas nobres do Brasil.


"[Alta do dólar] Atrapalha, mas não evita a compra, pois hoje o principal fator que motiva as aquisições é o 'risco Brasil'", afirma. "O investidor busca investir em um país onde sabe que irá ganhar dinheiro nos próximos dois anos e esse país se chama Estados Unidos", completa.
 

 

Fonte: Estadão - Economia

VOLTAR PARA PORTAL DE NOTÍCIAS